Denise Schiochet e Souza é professora no Ensino fundamental, mestranda em educação pela Universidade do Vale do Itajaí, mãe das gêmeas Laís e Alícia, desenvolveu CA de Mama em 2013.

Após concluir o tratamento idealizou o projeto “A Semente – gerando vida nos corações”.

Olá Denise!

Saiba que é um prazer enorme tê-la nesta edição de fevereiro de minha coluna. Tive a informação que você é uma mulher admirável, guerreia que sempre está em busca de crescimento e evolução.

Minha coluna é destinada a histórias de pessoas que fazem a diferença na vida de outras pessoas e que tiveram grande superação na vida.

É notável que você faz a diferença na vida de muitas pessoas com o seu projeto social e que também, teve grande superação na vida ao passar por um CA de Mama.

Sandro Ferrari – Denise, como era sua vida antes de ter desenvolvido o CA de Mama?

Denise Schiochet e Souza – Minha vida era normal. Profissionalmente atuante como professora, conciliava muito meu trabalho com o papel de mãe cuidando das gêmeas e como esposa também.

Eu com minha família estávamos muito bem, felizes as conquistas profissionais vinham acontecendo. Nessa época eu acompanhava meu pai nas sessões do tratamento oncológico, o que já me despertava a vontade de alguma forma ser voluntária dentro do hospital.

Entrevista Denise Schiochet e Souza3

SF – Como surgiu o diagnóstico do CA de Mama?

DS – Eu tive as gêmeas Laís e Alícia em 2014, tudo estava correndo bem, amamentei normalmente por oito meses. Certo dia, ao levar a mão na mama direita, senti um nódulo.

Logo procurei um médico e foram feitos várias exames. Nada de anormal foi encontrado, mas que deveríamos fazer um acompanhamento anual. Depois de oito anos, o mesmo nódulo aumentou, meus cabelos começaram a cair e senti muito enjoo. Novamente busquei ajuda clínica, onde foi constatado um CA de Mama (Carcinoma Intra ductal Invasivo).

Quando recebi o diagnóstico, naquele momento tudo se tornou imprevisível. Mas ao meu lado estava meu esposo Jairo que recebeu a notícia junto comigo e, antes que eu verbalizasse algo ele falou: – eu amo a Denise do jeito como ela é! Aí neste momento eu senti que seriam tempos de luta, muito cuidado, pois eu tinha meu marido, minhas filhas e uma missão que nem sabia que eu tinha.

E o AMOR essencial durante este processo de tratamento seria intensificado com a presença de DEUS, amigos, familiares e de pessoas que eu não conhecia pessoalmente, mas que oravam por mim e queriam que logo tudo isso terminasse.

SF – Denise me fale um pouco da sua missão.

DS – Tive um pequeno contato com esse mundo hospitalar quando eu acompanhava meu pai. Mas as pessoas só sabem como é um tratamento de câncer quando passam por essa situação, que é muito desafiadora.

E no processo do tratamento que é constante e invasivo tinha dentro de mim a fé e a coragem e a minha vontade de viver, de superar e me curar era muito maior e que germinou dentro de mim uma semente de esperança. Eu sou muito grata por todas as pessoas que estiveram comigo durante o tratamento.

Talvez, tenha sido por isso que surgiu a minha missão em ajudar outras pessoas que estão passando pelas mesmas situações que eu passei. Minha missão hoje é encorajar todos os pacientes oncológicos e seus familiares e enfrentar os momentos de sofrimento e de conquistas antes/durante e pós tratamento oncológico.

Entrevista Denise Schiochet e Souza1

SF – E sobre o Projeto a Semente? Fale sobre.

DS – Me tornei idealizadora do Projeto a Semente e hoje sou uma Sementeira Voluntária da Associação Projeto a Semente. “SEMENTE” foi chamada porque nossa intensão é colocar no coração de cada paciente uma semente de fé através de uma palavra de encorajamento escrita à mão por diversas pessoas que nos ajudam a escrevê-las por escolas, faculdades, eventos sociais e ao solicitarmos a qualquer pessoa que escreva a mensagem.

E, cada pessoa, além disso, ganha se for mulher, um turbante, lenço ou echarpe e se for homem, ganha boné, touca, gorro e isso também compõem cada semente.

O projeto A Semente foi oficialmente lançado em um evento no dia 19 de fevereiro de 2016, no meu aniversário de 40 anos. 53 mulheres estavam presentes e receberam com satisfação a oportunidade em poder contribuir neste projeto como as primeiras voluntárias.

Até hoje já foram entregues mais de cinco mil Sementes em Jaraguá e região, diversos estados brasileiros e inclusive em países como Quênia, Inglaterra e EUA. Durantes este ano, queremos alcançar toda América do Sul.

SF –Denise Qual é a sensação que você tem em estar ajudando essas pessoas?

DS – Eu tenho a sensação de paz e alegria, pois o sentimento de gratidão das pessoas que recebem as Sementes através de nós Sementeiras é algo que não tem preço. É doação mesmo, de coração é gratidão a tudo o que recebi de ajuda desde o diagnóstico até a conclusão do tratamento.

O que ganha-se de graça devolve-se de graça, esse é o meu falar e viver. Existem momentos em que o abraço é balsamo ao corpo e um sorriso é perfume por onde passamos.

SF – Denise, grato pela entrevista. Eu senti ressoar em mim a sua história.Realmente, somente alguém pode falar de algo, quando passa por isso.
Qual é a mensagem que você deixa para nossos leitores?

DS – Grata a você Sandro, primeiramente, em me conceder esse espaço para falar a respeito desse projeto. Eu posso falar que passei por um CA de Mama.

Não foi fácil, mas superei e essa é a mensagem que eu deixo: “Viva o presente e semeei, para que no amanhã colhas os frutos de saúde, paz e vitalidade” e isto somente DEUS pode lhe permitir conceder através da medicina e de pessoas que amam VIDAS como nós SEMENTEIRAS.

Helena Tannure um dia falou que Deus faz de uma semente florestas inteiras, completar essa verdade é indescritível, não menospreze as pequenas sementes que ele te confiou.

Quero aproveitar o momento para aqueles que se sensibilizaram com o projeto, estamos a procura de uma sede e quem quiser fazer doações, precisamos de tecidos (viscose/seda/crepe, papel gramatura 180, mão de obra para costura e esperamos por VOLUNTÁRIAS.

Se quiser fazer uma doação em dinheiro temos a conta no Banco do Brasil Ag: 0405-7 CC:61.517-x.

O Depósito é para Associação Projeto A Semente – CNPJ: 28.690.172/0001-53.

Informações para contato pelo fone 047 99104-6510.

 

Publicado por

Sandro Ferrari

Sandro Ferrari

Master Coach, ICI. Especialista em coaching de liderança, carreira e desenvolvimento pessoal. Eu ajudo líderes a obterem melhores resultados profissionais através do Método Attlantis.