Marisa Scherer é mãe, esposa e empresaria, expôs, em uma agradável e profunda conversa, questões de superação em ter passando duas vezes pelo câncer de mama.

Olá Marisa, o objetivo desta coluna é bater um papo com pessoas que fazem a diferença na vida de outras pessoas, ou que tiveram grandes superações na vida. Eu lhe conheço há muito tempo e sei que você faz a diferença na vida de muitas pessoas, mas aqui hoje o direcionamento do nosso bate papo tem a ver com superação.

Foto Marisa Sherer

Sandro Ferrari – Quem é a Marisa e com o que você trabalha?

Marisa Scherer – Hoje eu sou uma pessoa cheia de sonhos e buscas diárias, sem medo de nada. Trabalho com confecção de moda e é algo que me envolve muito, pois é um desafio constante. A cada dia surge algo novo, um novo cliente. Nós trabalhamos com magazines, que é muito diferente de trabalhar com coleções, e com isso surge pelo menos um desafio por dia.

SF – Marisa sei que você tem uma grande história de superação e nós estamos no mês de outubro. O que te lembra o Outubro Rosa?

MS – A primeira coisa que me lembra é prevenção contra o câncer. Foi graças à prevenção que estou aqui hoje falando com você. Foi em 2003 que descobri que estava com câncer de mama, e foi a prevenção que me ajudou. Foi um câncer agressivo de grau 2 para 3, onde o grau máximo é 4, minha sorte  foi que através da prevenção eu descobri bem no início. Mas, mesmo assim, o tratamento foi agressivo. Derruba mesmo, a luta é grande. Considero que tive sorte por descobrir cedo, que tem a ver com a prevenção, pois eu conheci muitas pessoas que tiveram o mesmo câncer que eu tive e já partiram. Como também tem muitas pessoas que superaram e, assim como eu, estão muito bem.

SF – Lutar contra um câncer e vencer é algo de muita superação. Qual foi seu principal aprendizado nesta questão?

MS – A gente não pode nunca se entregar. Nos primeiros dois dias eu fiquei em choque. Na hora, pensei nas minhas cinco crianças pequenas. Perdi o chão. Surgiram muitas perguntas e questionamentos. Só quem passou por isso pode avaliar como é essa situação. Certo dia fui à frente do espelho, olhei para mim e falei para meu reflexo no espelho: – Você está com pena de si? – O que é isso? – Vai para a luta, vai buscar recursos, busca a tua cura! E é isso o que me move até hoje. Lembro que na época eu conheci algumas pessoas que venceram o câncer e nós sempre falávamos: – Se ela venceu, eu também posso vencer.

SF – Após vencer esse câncer, você já passou por algum outro momento de superação?

MS – Sim. Em 2013 eu tive novamente câncer no mesmo local. Passei por todo o tratamento novamente e também descobri cedo por conta da prevenção. Muito por estar acompanhando sempre de perto, e muitas vezes nosso corpo fala: tem algo errado. Bem, 10 anos depois do primeiro câncer eu descobri o segundo, próximo do prazo da cura ser completa. Quando descobri, respirei fundo e falei pra mim mesma que tinha que ser assim, que eu teria algo para aprender novamente com essa situação. O que posso dizer dessa segunda vez, é que o tratamento foi muito mais agressivo. Mas eu sabia que iria passar, e passou.

SF – Existe alguma forma das pessoas ajudarem a contribuir para o Outubro Rosa?        

MS – Já faz algum tempo que nossa confecção faz cerca de 500 camisetas e doa para Rede Feminina de Combate ao câncer, assim como sei que muitas outras confecções também fazem. E uma forma de ajudar é adquirindo essas camisetas, gerando recursos para que as pessoas tenham acesso à prevenção. No mês de outubro, se faz uma grande mobilização para que as pessoas olhem para esse assunto com outros olhos. Pensando na prevenção e, principalmente, em ajudar o outro. Pois um dia, pode acontecer com você. Quero aproveitar e parabenizar a Rede Feminina de Combate ao Câncer de Jaraguá do Sul, pois sei que ela está preparada, sabendo investir os recursos gerados nas campanhas.

SF – Qual mensagem você deixa para as mulheres que estão passando por algum tratamento de câncer, ou quem sabe algum dia possa vir a passar?

MS – Sou grata por chegar a cada ano no mês de outubro estando bem. Conheci muitas histórias de pessoas que superaram, assim como eu. Percebi que essas pessoas tinham o foco na solução. É o hoje que importa! É bom planejar, mas viva o hoje. Já dizia Chico Xavier que tudo passa. A única coisa que as pessoas não conseguem superar é a morte, o restante você supera. Lamentar não vai ajudar em nada. Pode ser que seja difícil, mas não é impossível. Pense no que você quer e vá à busca disso com foco e determinação. Muitas pessoas sempre vão estar por perto para ajudar, mas você que está passando pelo processo, no fundo, é quem precisa se ajudar. A força, todos nós temos, basta você encontrar, pois vai passar. O cabelo que caiu?  Vai crescer novamente. Os filhos ficam bem, as coisas mudam e você se cura, basta você querer. Um dia você vai olhar para trás e vai ser uma lembrança de superação. Sei que muitas pessoas que já se foram também lutaram e fizeram muito do que eu falei aqui, mas a grande maioria venceu como eu venci.

Foto Marisa Sherer Frase1

Publicado por

Sandro Ferrari

Sandro Ferrari

Master Coach, ICI (International Association of Coaching Institutes). Master Practitioner e Trainer em PNL. Especialização na área de gestão empresarial e liderança.