Janice Breithaupt é professora no Ensino Superior, sempre teve profunda dedicação com desenvolvimento de pessoas. Idealizadora do projeto social Comunidade Terapêutica Campos de Luz.

Olá Janice! Saiba que é um prazer enorme tela, nesta edição de março de minha coluna. Sabemos que dia 8 de março é o Dia Internacional da Mulher e você é uma mulher admirável, guerreia que sempre está em busca de crescimento e evolução.  Minha coluna é destinada a histórias de pessoas que fazem a diferença na vida de outras pessoas e que tiveram grande superação na vida. É notável que você faz a diferença na vida de muitas pessoas com o seu projeto social.

Sandro Ferrari – Janice, fale um pouco sobre você.

Janice Breithaupt – Sou a avó mais coruja e assumida que conheço rsrs… Posso dizer que atualmente tenho o privilégio de fazer tudo que me é apaixonante… Já tive que fazer muitas coisas das quais não gostava, mas, era meu processo de crescimento para chegar onde queria. Sempre gostei de lidar com pessoas e, principalmente, ser uma escuta para estas. Professora por opção e paixão, encontro na sala de aula motivos diários para querer buscar sempre mais! Eterna inconformada, penso que pessoas conformadas não vão atrás de seus ideais, eu vou! Encontro em meus alunos inspiração constante para buscar, a sala de aula exige isso, não têm como reproduzir aulas, não se reproduz os alunos.

Comunidade Terapêutica Campos de Luz

SF – Como surgiu a ideia deste projeto social?

JB – Quando trabalhava na área de RH, lidava com todo tipo de situação, algumas vezes voltei chorando para casa por não poder fazer mais do que acreditava que deveria, tinha limitações em se tratando de uma empresa… mesmo assim, dependendo da situação, eu ajudava paralelamente. Quando sai da empresa, tive mais tempo para pensar em qual realmente era o meu arquétipo, onde poderia melhor me encontrar. Confesso que demorei um pouco para descobrir, complicadinho perceber e adotar seu modo de viver de acordo com o que você é!

Enquanto fui voluntária em uma entidade que lidava com dependentes químicos, achei maravilhoso trabalhar ouvindo tudo que tinham para falar. Fazia reuniões semanais com eles, amava! Essas pessoas são muito discriminadas e abandonadas pelos próprios familiares assim como pela sociedade quase que de modo geral.

Surgiu dali a ideia. Queria montar algo que não fosse tão convencional, mais humanizado, mais do meu jeito. Reuni algumas pessoas para ajudar e juntos formamos a Comunidade Terapêutica Campos de Luz, e já se vão 6 anos de atividades.

SF – Janice, e como funciona o projeto? Qual é missão da Comunidade Terapêutica Campos de Luz?

JB – A Comunidade Terapêutica Regional CAMPOS DE LUZ é uma instituição filantrópica, sem fins lucrativos.  Fundada em 10 de janeiro de 2012 tem sua sede administrativa num imóvel com área de 140 000 m2, localizado na Rua Guilherme Tomelim nº 5032, no bairro, Caixa D’Água Município de Guaramirim, Santa Catarina.

Nossa finalidade é dar atendimento a jovens e adultos do sexo masculino entre 17 e 75 anos de idade e por objetivo tratar da recuperação integral dessas pessoas dependentes de psicotrópicos, entorpecentes e drogas similares, bem como de portadores de outros vícios e/ou desvios de personalidade. Desenvolver serviços, programas e projetos de reinserção social a indivíduos usuários e dependentes de substancias psicoativas. A recuperação de valores morais, comportamentais e espirituais. Reabilitação e reintegração à sociedade. Prestar orientação e profilaxia social da toxicomania.

SF – Hoje vocês recebem algum apoio? Como o projeto é mantido?

JB – Hoje funciona somente com voluntariado. Tenho duas fiéis voluntárias que me dão muito apoio e tratam os “meninos”, como chamamos, independentemente da idade, com muito carinho e atenção. Além do monitor que é voluntário também. Precisamos recursos para contratação de mais profissionais.

Recebemos auxílio fixo semanal, do programa Mesa Brasil – SESC, doação de pessoas físicas – de boa vontade – pouquíssimas – por esse motivo é que citei a discriminação da sociedade, para outras instituições, muito apoio, para dependência química… E hoje, não há família que não sofra em seu meio dessa doença. No mais, mantemos com raras mensalidades, auxílio de algumas igrejas com alimentícios. Mas, temos aluguel, profissionais, luz, gás e todas as despesas mais que uma entidade desse porte tem.

SF – Qual é a sensação que você tem em estar ajudando essas pessoas?

JB – Não tenho só a sensação, eu sei e sinto que são essas pessoas que me ajudam.

SF – Janice, grato pela entrevista. Qual é a mensagem que você deixa para nossos leitores?

JB – Grata a você, primeiramente, em me conceder esse espaço para falar a respeito desse projeto. Peço que olhem com mais carinho, com outro olhar essas pessoas, são doentes, precisam da sua ajuda e carinho. Ao invés de desprezar, acolha, nem que seja com apenas um olhar. Não desamparem se for seu familiar, ofereça-lhe ajuda. E deixo um apelo para que as pessoas se sensibilizem e nos ajudem com essa causa.

Tomo a liberdade de disponibilizar nossa conta bancária para quem quiser contribuir:

Comunidade Terapêutica Campos de Luz

Comunidade Terapêutica Campos de Luz
Banco BRADESCO – Agência 0356
Cc 91216-6 – CNPJ 15340385/0001-03 – Jaraguá do Sul

Publicado por

Sandro Ferrari

Sandro Ferrari

Master Coach, ICI. Especialista em coaching de liderança, carreira e desenvolvimento pessoal. Eu ajudo líderes a obterem melhores resultados profissionais através do Método Attlantis.